Salomão Larêdo

Salomão Larêdo

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Tio David – Padre David – Cônego David Gonzaga Larêdo

29.12.1935 – 26.08.2014

Tio David
Descanse em Paz!

Com nosso amor, adeus e beijos dos sobrinhos:
Salomão, Maria Lygia, Filipe e Camila Larêdo





Dom Milton Pereira processa a liturgia de ordenação sacerdotal de David Larêdo, coadjuvado pelo padre Ribamar Souza e diácono Ivanildo Holanda Cunha.

Sobre o Tio David, escrevi, editei e publiquei o livro cujo capa abaixo divulgamos e que foi lançado em 01 de Fevereiro de 2013 e dias depois, aconteceram os episódios que culminaram com problemas em sua saúde que não mais se restabeleceu e veio a falecer no dia 26 de agosto de 2014. O livro contém, na primeira parte, a síntese da história de vida do tio David, desde a Vila do Carmo, em Cametá, onde nasceu, até 2008, quando completou 40 anos de ordenação sacerdotal e deveria ser publicado pela passagem desse evento histórico, mas ele não quis. Insisti que deveríamos falar sobre a construção da Igreja da Conceição que ele, junto com os paroquianos e amigos, construiu, em quase 40 anos como pároco da Conceição, e ele, não querendo muito, autorizou-me a fazer a segunda parte e publicar o livro com as duas partes e então, de outubro de 2012 a janeiro de 2013, produzimos a segunda parte o livro foi publicado e lançado. Após isso, os acontecimentos subsequentes que culminaram com o grande abalo de sua saúde, a hospitalização, o longo sofrimento e a sua morte que não está registrado nesse livro. Mas, muita gente da paróquia sabe o que aconteceu, como tudo aconteceu e certamente um dia isso será escrito.(Salomão Larêdo) 


sexta-feira, 22 de agosto de 2014

QUAL O PAPEL DA SUDAM, HOJE? ESTUDAMOS A AMAZÔNIA NAS ESCOLAS? CUIDAMOS DO QUE É NOSSO?

Salomão Larêdo, escritor e jornalista

Para pesquisa, fui ao prédio da SUDAM, na Av. Almirante Barroso esquina da trav. Antonio Baena. Queria saber algo sobre a SPVEA – Superintendência do Plano de Valorização Econômica da Amazônia, que antecedeu a SUDAM. A informação é de que pouco quase nada existe da SPVEA e aí começa a interrogação.


O que houve? Por quê não foi preservado? Se existe memória, onde está? E apesar de saber das idas e vindas, fecha, abre e relação política desta autarquia pública, a sensação que tenho ao entrar num prédio que abrigava importantíssimo órgão público nas décadas de 1960/1970, é a pior possível. 


Do lado externo o prédio já se traduz pela falta de trato. Dentro, o sinal não é a dinâmica da outrora SUDAM (que embora menos suntuosa que a SUDENE e naquela época merecesse outro tratamento, era uma potência, tinha prestigio e pagava salários altíssimos aos funcionários) e parecia que estava num local que parou no tempo. A biblioteca, aberta, com apenas uma pessoa pra informar e tudo parecia sem renovação, poeirento, obsoleto. 

Biblioteca da SUDAM

Mas, fiz fotos e apanhei um folder que aqui publicamos para que o leitor possa analisar e se questionar de qual é a função e o papel da Sudam, hoje, no Pará e na Amazônia? Precisamos, como amazônidas, questionar a função de um órgão criado para desenvolver a região. Aconteceu isso? Porque ainda existe a SUDAM? Estudamos isso nas escolas? Conhecemos a Amazônia? Cuidamos do que é nosso? Leitor, a análise é tua.

FOLDER











COMO ESTÁ A NOSSA UNIVERSIDADE? QUAL TUA OPINIÃO CARO LEITOR DESTE ESPAÇO?

Salomão Larêdo, escritor e jornalista

O texto que apresentamos nos leva a uma meditação seria e profunda sobre as instituições de ensino superior no Brasil e em particular, na Amazônia, no Pará. As universidades preservam seus arcaísmos? As universidades brasileiras vão bem? Ou deveriam modernizar-se ouvir as comunidades – sobretudo no caso da UFPA, a do bairro do Guamá que, na ilharga da UFPA, deveria ter escola de qualidade, outro tipo de trânsito, planejamento urbano, etc - e reformar-se modernizar-se. Qual a tua opinião querido leitor.

Clique na imagem para melhor visualização