sexta-feira, 24 de junho de 2016

É AMANHÃ! É A EMPÍREO! Participe!

Clique na imagem para melhor visualização

A EDITORA EMPÍREO CONVIDA A TODOS PARA O II ENCONTRO LITERÁRIO EMPÍREO. PARTICIPE!

AMANHÃ - 25 DE JUNHO, ÀS 14H NA UNIBES CULTURAL 


“Não há terror em um estrondo, apenas na antecipação dele”. Dessa maneira simples, um dos maiores contadores de história de todos os tempos, Alfred Hitchcock, resumiu como o suspense e o mistério prendem leitores e espectadores mundo afora. 

Escritores não poupam técnicas e recursos para fazer seus leitores não desgrudarem os olhos das páginas. O resultado importa, mas como chegar até ele é o que eriça os pelos.

Dando continuidade à sequencia de bate-papos sobre o fazer literatura, a Editora Empíreo convida você para seu II Encontro Literário com o tema:

MISTÉRIO E SUSPENSE NA NARRATIVA LITERÁRIA

No evento, estarão escritores e editores batendo papo sobre a arte de criar e enlouquecer o leitor-amante do “minhanossasenhora e agora?” 

INGRESSOS: Assim como no I Encontro, o ingresso é a doação de um livro, em bom estado, para o Bazar da Unibes, cuja renda é revertida para os projetos assistenciais da instituição). 


LOCAL: 
Rua Oscar Freire, 2500, 05409-012 São Paulo
Dia 25 às 14:00 - 17:00




sexta-feira, 17 de junho de 2016

II ENCONTRO LITERÁRIO EMPÍREO - DIA 25 DE JUNHO ÀS 17H NA UNIBES CULTURAL.



SILVÉRIO MAIA MAESTRO PARAENSE E A MISSA NA CATEDRAL.

É hoje, às 18h, na Catedral de Belém, na Cidade Velha, a missa em sufrágio da alma do maestro paraense Luiz Silvério Maia, falecido em João Pessoa, na Paraiba, no dia 11 de março . Quem informa é nossa querida amiga Edith Maia, viúva do maestro e prof. Silverio Maia que veio com a família “ para depositarmos as cinzas de nosso amado Silvério Maia”. Na foto da família: Silvério, Edith e Sara Maia.


segunda-feira, 13 de junho de 2016

NOVENTA E NOVE JÁ É CEM BEIJOS CHEIOS DE PARABÉNS À TIA ZITA

Tia Zita( foto), a grande figura de nossa família que hoje , dia de Santo Antonio, vindo daí seu nome Antônia Larêdo Américo, completa idade singular - 99 anos de idade - nasceu na Vila do Carmo-Cametá, no dia 13 de junho de 1917, filha mais velha de José e Ana Larêdo, viúva de tio Mirico Américo com quem casou e constituiu linda família de muitos filhos e netos em união de 68 anos de muito amor em vida simples cheia de trabalho, compreensão e entendimento e recebe sempre nossos afetuosos abraços plenos de carinhos e afagos amorosos dos sobrinhos: Salomão e Maria Lygia Larêdo ( Texto e foto: Salomão Larêdo).


OS 123 DE TÓ TEIXEIRA, COMPOSITOR PARAENSE, MESTRE, MÚSICO, VIOLONISTA E ENCADERNADOR, que nasceu Antonio Teixeira do Nascimento Filho ou somente Tó Teixeira no dia 13 de junho de 1893

Conheci Tó Teixeira em sua oficina de encadernação na rua 13 de maio, centro comercial de Belém onde ele fez para mim as capas dura de dois livros fotocopiados do poeta Antonio Tavernard, e, claro, que Tó encadernou e tem seu selo. Neste dia em que nasceu e completaria 123 anos de vida, presto singela homenagem "Post Mortem" ao mestre Tó publicando suas fotos que compõem o livro do também grande violonista, compositor, cantor, poeta e escritor Salomão Habib que pesquisou por mais de 20 anos e organizou excelente trabalho com que me presenteou o livro e os cds a respeito da obra musical de Tó Teixeira e faz bonito e interessante passeio pela gostosa Belém de outrora num texto saboroso pelo Umarizal, reduto de Tó, que li e ouço com enorme satisfação e orgulho e, como sempre procedo valorizando o que é nosso, minha bandeira de luta amplio a homenagem ao Salomão Habib, valoroso produtor cultural sempre atuante; e, ao poeta Tony – Antonio Tavernard (homenagem "Post Mortem"), sublinhando que temos muitos valores no Pará. Temos música, músicos, artistas, escritores, literatura, arte, todas, numa fulgurante cultura e por isso temos todos que valorizar o que é nosso!!! (As fotos são reprodução do livro citado. Texto: Salomão Larêdo)



VEM AÍ, A FLiPA 2016 - Feira Literária do Pará - Participe !!!!


quarta-feira, 8 de junho de 2016

O AMOR DE DASY E CARLOS COIMBRA

Familiares e amigos – através de nota no jornal - convidam para a celebração da missa de sétimo dia, hoje, dia 8 de junho de 2016, às 18h, em Belém do Pará, na capela de Lourdes, de Idália Maués da Cunha Coimbra e assim ficamos sabendo que falecera dia 02 de junho de 2016. Conhecida como Dasy, era assistente social, casada com Carlos Coimbra, professor e filósofo, sacerdote (que não exercia as funções) falecido há dois anos( 17.01.2014). No dia 18 de fevereiro de 2012, em Belém do Pará, fiz entrevista (inédita) com Carlos e Dasy Coimbra que entre muitos fatos contou que na década de 1950 eram jovens enamorados em Belém e no meio do enlevo, Carlos comunicou que queria ser padre...; e vinte cinco anos depois, após pedir laicização à igreja, quis saber, no Rio de Janeiro, onde se encontravam, se Dasy estava livre e se aceitava retomar o relacionamento interrompido. Dasy contou: “... Surpresa e emocionada,decidimos dar-nos um tempo de readaptação com a ideia ao fim da qual acertamos casar no dia 13 de junho de 1976...”. Numa homenagem póstuma aos profs. Carlos e Dasy Coimbra ( veja a foto), fazemos este singelo registro síntese da história de amor que viveram por quase 40 anos de casamento. (texto: Salomão Larêdo).








segunda-feira, 6 de junho de 2016

Grande seminário no campus da UFPA, em Cametá, coordenado pelo prof. Doriedson Rodrigues, acontece depois de amanhã e muita gente se inscreve à participação. Aproveite!


O Núcleo do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Trabalho e Educação - GEPTE, sediado no Campus Universitário do Tocantins/Cametá, coordenado pelo Prof. Doriedson Rodrigues, e o Grupo de Pesquisa História, Educação e Linguagem na Região Amazônica – GPHELRA realizam depois de amanhã, 08 de junho o SEMINÁRIO “INTEGRAÇÃO E PROCESSOS FORMATIVOS NA ESCOLA BÁSICA: ELEMENTOS PARA PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INOVADORAS”, no Auditório Alberto Mocbel do Campus Universitário do Tocantins/Cametá – UFPA. O evento busca articular ações entre a Universidade e a Educação Básica, em prol da formação de professores, tanto para os que já militam como para os que estão em formação, a partir das licenciaturas. Quatro mesas de discussões e debates constituem o evento, com presença confirmadas dos professores dr. Ronaldo Marcos de Lima Araújo, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica, drª. Josenilda Maués, coordenadora adjunta do PARFOR/UFPA, dr. Ivanildo Gomes, MSc. Carlos Alberto Amorim Caldas, dr. Genylton Odilon Rego da Rocha, docente do Programa de Pós-Graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica, MSc. Egídio Martins, drª. Benedita Celeste de Moraes Pinto, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação e Cultura. Discentes dos Cursos de Licenciatura Plena da Universidade Federal do Pará, Campus Universitário do Tocantins/Cametá, presentes em Mocajuba, Oeiras do Pará, Baião, Limoeiro do Ajuru, bem como na sede do Campus Cametá, assim como docentes do ensino médio presentes nesses espaços regionais participam do evento. Durante o seminário serão lançados os Projetos “LABORATÓRIO DE PRÁTICAS FORMATIVAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA - PAPIM 2016” e “COMPREENDER E PRATICAR ELEMENTOS DE UMA PRÁXIS INTEGRADORA NO CURSO DE PEDAGOGIA - PROINT 2016/2017”, coordenados pelo prof. Doriedson Rodrigues e pelo psicólogo Carlos Amorim, objetivando fomentar discussões sobre práticas formativas na educação de jovens e adultos, bem como compreender e praticar elementos de uma práxis integradora no curso de pedagogia, além de discutir a relação trabalho e educação, Currículo, Avaliação e Processos de Integração na Escola Básica.


segunda-feira, 30 de maio de 2016

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Teus amores, leitora, são matutinos ou vespertinos?

Leia mais no livro LÂMINA MEA - mulher não chora - ou SUZAMA MATRIZ, que você encontra na Livraria Fox: Trav. Dr. Moraes, 584, Batista Campos-Belém-PA. Contato: 091 4008-0007.



sexta-feira, 13 de maio de 2016

As mangueiras de Belém

Perceba pelas fotos, leitora e/ou leitor deste espaço - trocam as folhas. Que belo espetáculo e lição da natureza: mudar, renovar. Aqui na Amazônia, em Belém, temos apenas duas estações: uma com mais chuva e outra com menos chuva e sol, intenso, brilhante, feliz!! Mas parece que a mangueira, natural da Índia que o ingleses trouxeram para cá no período da belle époque e Belém passou a ser conhecida como a cidade das mangueiras, em seu comando de raiz, obedece as quatro estações : inverno, verão, outono primavera e as folhas que cumpriram a sua função, amarelam e caem dourando a cidade. Lembro que colhíamos as folhas tenras do cacaueiro e da mangueiras e espocávamos nas mãos. Daqui a pouco elas vão florescer e num exemplo de pensar no bem do outro, as árvores doam os frutos, põem para fora, disponibilizam e quem quiser,colhe, elas não usufruem : que generosidade e nós em troca, não podamos as mangueiras, não retiramos as ervas de passarinho e ao invés de tratar, colocando adubos e nutrientes, derramamos resto de construção nos seus troncos e elas generosas, respondem a essa violência,mau- trato desamor e agressão,com sombras, verdume e frutas saborosas. Aprecie as fotos (Texto e fotos: Salomão Larêdo)






sexta-feira, 6 de maio de 2016

Teus projetos podem virar livros, 04 de Junho de 2016 em Sampa tem workshop com Filipe Larêdo.

Com a internet, cada vez mais pessoas encontram possibilidades de publicação de suas ideias, seja por meio de blogs e sites ou pela forma tradicional, que o livro é impresso. Porém, para que esse objetivo seja alcançado, é necessário atentar para uma arte muito importante: a edição.

Editar um livro é um processo que, se bem utilizado, proporciona a transformação da escrita em um objeto que pode ser consumido. É disso que vamos tratar nesse workshop.

Objetivo do workshop:

Entender como funciona o mercado editorial no Brasil e acompanhar as etapas do trabalho de edição de um livro na sua fase de produção.


Quando?

04 de Junho de 2016
das 9h00 às 13h00

Onde?
(Ver no mapa)

Editora Empíreo
Rua Cajaíba, 451,
São Paulo - SP

Conteúdo:

1- Panorama do mercado editorial de livros no Brasil

• História do livro no Brasil.
• As listas dos mais vendidos
• Literatura nacional x Literatura estrangeira


2- Recebimento e avaliação de originais

• Como escolher os títulos certos para publicação.
• O que deve ou não ser publicado por uma editora.
• Quando e como enviar originais para avaliação.


3- O papel do editor

• Contato e relacionamento com o autor.
• Administração de um processo editorial.
• Confiança entre autor e editor.


4- A produção editorial

• Tradução de títulos estrangeiros.
• Preparação de textos.
• Revisão.
• Diagramação.
• Escolha de capa.
• Fechamento de arquivos para a gráfica.
• Pré-impressão.

Público: Escritores, profissionais do mercado editorial, estudantes de comunicação, editoração, letras e jornalismo, jornalistas e demais interessados em conhecer o mercado editorial e os passos de produção do livro.

Observação: Levar papel e caneta para anotações.

Sobre Filipe Nassar Larêdo: Filipe tem formação em Direito e Produção Editorial. Já trabalhou em diversas editoras, coordenou o setor de produção editorial de literatura estrangeira da Editora Novo Século e, atualmente, trabalha em sua própria editora, a Empíreo (editoraempireo.com.br).

quarta-feira, 27 de abril de 2016

OS 122 ANOS DA BIBLIOTECA DO MUSEU GOELDI DO CAMPUS DA PERIMETRAL E O LANÇAMENTO DA REVISTA PORANDUBA ON LINE

Uma das maiores bibliotecas da região e com acervo de mais de 400 mil livros, a biblioteca Domingos Soares Ferreira Pena que completa 122 anos, é centro de referência mundial para quem quer pesquisar sobre a Amazônia e a direção do centro de documentação para marcar a data reuniu há pouco no auditório, técnicos, servidores e usuários sublinhando a importância da biblioteca e lançou a revista informativa " Poranduba" (que em nossa lingua Nheengatu, significa: boas notícias) – on line - que já pode ser acessada -www.museu-goeldi.br Nas fotos, a mesa dirigente dos trabalhos, bibliotecárias e técnicos e aspectos internos do campus. Parabéns à direção do Museu Goeldi.







segunda-feira, 25 de abril de 2016

A FUNÇÃO SOCIAL DO LIVRO - LIVROS DOADOS

Pacotes e caixas com livros - é o que mostra e comprova a foto abaixo - doados pelo escritor Salomão Larêdo e pelas profas. Carmen e Camila Dias Numazawa, à espera do transporte cedido pelo prof. Doriedson Rodrigues que os levará às escolas públicas do interior de Cametá, as que funcionam nas comunidades na beira do rio Tocantins, nos furos e igarapés, em ação política concreta de muitos anos de trabalho nessa direção no sentido de ajudar a formar os espaços de leitura à efetivação ao acesso democrático ao livro e a leitura que cooperam à formação do leitor crítico.


sexta-feira, 15 de abril de 2016

Texto de Salomão Larêdo em homenagem ao aniversário da Biblioteca e Arquivo Público do Pará

Comecei a frequentar a Biblioteca e Arquivo Público do Pará, em 1961, assim que chegamos em Belém, vindos da Vila do Carmo/Cametá, para estudar e meu pai, funcionário público da estrada de ferro do Tocantins, em Tucuruí, alugou modesta casa no bairro da Cremação, coberta de palha de ubuçú, paredes e assoalho de restos de madeira usada e apodrecida, verdadeira palafita feita no charco onde muçuns e carapanãs proliferavam. Vida de muita privação e dificuldade, garoto novo e leitor, saía cedo, a pé e começava lendo os jornais do dia, sentado na cadeira de palinha, numa mesa coberta de feltro verde, compartilhando com outros frequentadores , a maravilha que é ler e nutrir-se de conhecimento através da informação em todos os meios de comunicação; e depois, passava aos livros, deslumbrado com o acervo da biblioteca – a primeira que conheci e frequentei – sob a direção do historiador Ernesto Cruz que vi, inúmeras vezes naquele espaço público de memória e leitura onde atraquei o meu barco pra sempre e passei depois a ajudar a formar leitor crítico, consciente de que é através do sério e intenso investimento em educação e cultura, que passa pelo cuidadoso arquivamento de toda a nossa memória documental , pela biblioteca, livro e sobretudo pela leitura, que uma sociedade se humaniza e é capaz de transformar corações e mentes para um mundo melhor, mais justo e mais fraterno. Ler é o maior espetáculo da vida! Leia! (Texto do escritor e jornalista Salomão Larêdo em homenagem ao aniversário, neste 14 de abril, do importante e mais que necessário arquivo público do Pará com milhões de documentos, que, preservados, digitalizados e disponibilizados à consulta e pesquisa, revelarão cada vez mais a nossa história).

sexta-feira, 1 de abril de 2016

NÃO MORRER SEM AMAR - Personagem no livro CHAPÉU VIRADO

Veja foto das capas (produzidas pelo artista plástico Emmanuel Nassar) - tem este e outros desejos, vontades. Leia pequeno trecho selecionado pela jornalista Camila Andrade que acabou de ler o livro de conto, editado no tamanho bolso e que é texto encantado e encantador e o cenário é a Ilha do Mosqueiro: - "Sabia que, se não encontrasse aquele por quem seu coração disparou, morreria e não queria morrer sem amar o que amou assim que seus olhos viram." Trecho da obra Chapéu Virado de Salomão Larêdo.
















Adquira seu exemplar na Livraria da Fox dr. Moraes em Belém do Pará.