Salomão Larêdo

Salomão Larêdo

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

LITERATURA PARAENSE

LITERATURA PARÁ

OUTUBRO dos professores operadores de leitura a todas as crianças que devemos ser leitores conscientes e competentes (e)leitores.



ACONTECIMENTOS:

01 – 1ª Feira do Livro de Barcarena e 2ª Semana Literária, promoção da Secretaria Municipal de Educação e da Casa do Professor , de 26 a 30 de outubro tendo como autor homenageado o escritor Walcyr Monteiro.

02 – 148º aniversário de fundação do Museu Paraense Emilio Goeldi,dia 06, com lançamento de livros.



RECEBI:

01 – A Pedra de Babel, romance do escritor paraense Edilson Pantoja,93p. Nesse segundo trabalho publicado Edilson apresenta domínio completo da narrativa e confirma o título de um dos maiores escritores da nova geração. E não surpreende, Edilson Pantoja se preparou para entrar na arte literária e por isso sabe onde pisa.

02 – Fagundes o advogado de Tiradentes e do poeta Tomás Antônio Gonzaga, livro do advogado e escritor amazonense Agildo Monteiro, Belém, IOE, 107 p. em que pesquisa a vida do advogado dos inconfidentes mineiros. Monteiro é também ficcionista membro da APL e autor da “Verde Rã” e do “Miolo do Pão”, dentre outras do destacado prosador .

03 – Plantas Medicinais na Amazônia , trabalho em 3ª edição da pesquisadora do Museu Paraense Emilio Goeldi, Maria Elisabeth Van den Berg, 268p. ano 2010.

04 – Várzea e Varzeiros da Amazônia, de Octavio do Canto, edição do Museu Goeldi, 168p.

05 – Destaque Amazônia, informativo do Museu Goeldi , dos meses de março a setembro, em que sublinha, neste último, que a pesquisa da instituição encontra nova espécie de réptil.

06 – Vocabulário Terminológico Cultural da Amazônia Paraense – com termos culturais da área do Marajó – Volume IV , trabalho da professora e pesquisadora Odaisa Oliveira, da UFPA, que vem produzindo com eficiente labor a Representação Simbólica das Narrativas Populares da Amazônia Paraense como Linguagem de Informação – RESNAPAP que toma como referência o IFNOPAP – Imaginário nas Formas Orais Populares da Amazônia Paraense, à frente a professora Socorro Simões, que coordenada, na UFPa, esse importante projeto que esteve na região marajoara no espaço cultural flutuante que é o catamarã adequado para servir de apoio ao trabalho sócio-cultural e educacional que a UFPA realiza pelo interior. A Professora Odaisa publicará o livro relativo a área de Cametá, que tem um dos mais conhecidos e interessantes dialetos da língua paraense; 173 p. Alves, 2010.



LANÇAMENTOS:

01 – 1822, de Laurentino Gomes, Nova Fronteira, 2010, 343p. Rio de Janeiro, os acontecimentos à independência do Brasil.

02 – Banho de Chuva – Belém em retratos poéticos - textos do professor Paulo Nunes e ilustrações do artista plástico Emmanuel Franco, ambos, paraenses e poetas.



DESTAQUE:

O Penta, órgão informativo da Fundação Casa da Cultura de Marabá, cujo presidente é o pesquisador, escritor e poeta Noé Von Atzingen, informa o lançamento do 4º Boletim Técnico da entidade.



LEITURA RECOMENDADA:

01 - O Jogo da Amarelinha, de Julio Cortázar, - Civilização Brasileira -2009, 15º edição, tradução de Fernando de Castro Ferro, 640 p. - Rio de janeiro – caleidoscópio verbal dessa metaficção calculada minuciosamente.

02 – Inglês de Sousa em todas as letras, do professor Paulo Maués Corrêa, Belém, Paka-Tatu, 2004, 136p. prefácio do dr. Günter Karls Pressler que também diz: “... a beleza do livro de Paulo reside na tessitura de temas, enfoques, comentários...”.





LEIA!!! LER É O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA!!!!!

Nenhum comentário: